sexta-feira, 13 de março de 2009

Memorial da Minha Trajetória Acadêmica

Nascida em Campinas, ao dia 09 de outubro de 1986, Gabriela Zanotto Bosshard viveu até os 18 anos em Cosmópolis, quando se mudou com a família para Paulínia.


Iniciou o ensino fundamental aos 7 anos de idade na escola estadual “Rodrigo Octavio Langaarde Menezes”, onde ficou até a quarta série e adquiriu gosto por matemática, destacando-se pela facilidade com os números.


Em 1998, ao ingressar na quinta série, passou a ter aula com diferentes professores, havendo um foco maior para cada disciplina, o que fez seu interesse em matemática e ciências, posteriormente dividida em química, física e biologia, aumentar. A amizade que fez com os professores destas disciplinas serviu de incentivo para aprender sempre mais.


Na oitava série uma amiga comentou que pensava em fazer curso técnico de química. E mesmo nunca tendo pensado em seguir a carreira de química, Gabriela sempre gostou quando o pai, que é químico, lhe ensinava pequenos experimentos, como extrair clorofila de folhas. No fim do ano prestou vestibulinho e, no ano seguinte, iniciou o ensino médio na escola técnica estadual “Conselheiro Antonio Prado”, mais conhecida como ETECAP, onde cursou o técnico em química também.


Nos 3 anos que estudou na Etecap se apaixonou por química e pela escola, onde desenvolveu vários projetos, dentre eles um jornal que teve 6 edições, inclusive uma comemorativa de 40 anos da escola, assim como uma peça de teatro e um projeto de jardinagem. Esses projetos aguçaram sua criatividade e vontade de aprender. Diversas vezes, entre as aulas, escolhia livros na biblioteca para estudar conteúdos de química que não eram abordados no curso técnico.


No meio de 2004, terminou o curso técnico e iniciou o estágio no CPQBA – Unicamp, onde ficou até fevereiro de 2005, pois em março iniciaram-se as aulas do curso de química na Unicamp.

4 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Apesar das muitas diferenças (dois anos na idade, milhares de quilômetros entre os lugares de nascimento, e outras mais), seu memorial me chamou a atenção pela sua facilidade com os números.
    Assim como você, eu gostava muito de matemática. E no colegial me interessei pela química e pela biologia. A Física, no entanto, nunca me interessou...
    Tive interesse em fazer um curso técnico, mas não havia muita oferta onde morava. O único que existe, bastante tradicional (meus pais o fizeram), é a ETEP. Mas eletrônica e mecânica não eram cursos que me atraiam.
    Por fim, tomamos rumos diferentes. Química foi o primeiro curso superior que pensei em fazer, saindo do Fundamental (curiosamente, é a carreira que minhã irmã iniciou esse ano). Mas a biologia, ou melhor, a genética me conquistou.

    Senti falta de suas histórias na UNICAMP.
    Gostaria de saber o que acha do curso, se a satisfez. O que - se - faz algo extra-curricular. Continua com o envolvimento com outras atividades, assim como fazia na ETECAP?

    No mais, gostei do texto, das ilustrações da trajetória. Espero conhecê-la mais ao longo da disciplina.

    Priscila Carrara

    ResponderExcluir
  3. Olá Gabi! Escolhi seu blog para realizar a primeira parte da segunda tarefa, pois foi no seu relato que encontrei mais pontos em comum com o meude entre todos que li. Antes de destacar esses pontos gostaria de elogiar seu texto, está muito fluido e seguiu exatamente as recomendações do enunciado. Parabéns também pela sua trajetória!

    A única observação que faço é que você não especificou sobre a escola onde cursou da 5ª à 8ª série.

    Nossas coincidências começam desde o ano de nascimento. Também estudei o ensino fundamental em escola estadual onde também tomei gosto pelos números. Assim como você fiz o ensino médio em escola técnica, onde eu também procurava participar de projetos extracurriculares. E nossas semelhanças encerram (pelo menos na trajetória descrita aqui) com o ano em que começamos a estudar na Unicamp!

    um abraço,
    Tati

    ResponderExcluir
  4. Prima... Parabens pelo memorial: memorável!!!
    Abcs,
    Rodrigo Bosshard

    ResponderExcluir